Dicas de estratégia em franquia # 03 - Entrevista com o Ricardo da Nação Verde

O Portal Franquias do Brasil publica esta série de artigos com temas do dia a dia dos franqueadores. Nosso objetivo é trazer pontos de vista, opiniões e experiências, contribuir de alguma forma.


 

O Ricardo é uma pessoa diferente. Aliás, as pessoas que fazem a Nação Verde, querem ser diferentes. Vou te contar duas ideias: ele um dia resolveu fazer um SUP (stand up padle), aquele passeio em que você fica em pé numa prancha e vai remando; no meio do Rio Tietê, isso com uma prancha de garrafas pet. Depois você vê lá no You Tube. Outra referência, o Ricardo tinha uma rede de concessionárias de motos e deu uma guinada na vida, mudou tudo para fazer a Nação Verde.

 

Então, o que vem da marca traz sempre algo a mais, que não se encontra em geral. Muito propósito, preocupação com a saúde e com a evolução num sentido mais amplo. A rede está com mais de 60 lojas. O Ricardo é meu amigo, então eu pedi para ele - franqueador experiente - aberto - dividir com outros franqueadores ou pessoas que querem franquear, três perguntas bem interessantes:

 

Algo em que você foi inocente no começo, uma ilusão?

Um grande erro do começo?

O que foi mais importante no início?

 

Uma grande inocência foi subestimar o quanto pode haver de desvio de conduta na rede. Houve um caso de falsificação de produto com a própria marca, que foi inesperada, fraude mesmo. Aprendendo pela dor, depois de entender que podia vir de tudo,  o contrato ficou mais rigoroso, as regras, os cuidados, as notificações e multas.  A Nação Verde ficou mais calejada com a maldade alheia.

 

Um erro, foi colocar em votação, decisões que cabiam ao franqueador. No começo existia esse hábito. Uma ocasião, os franqueados votaram sobre qual deveria ser a prioridade em uma nova linha de produtos, e a escolha mostrou-se bastante equivocada. Isso de deixar eles decidirem, era um erro, porque os franqueados não tinham preparo e muitas vezes se guiavam por interesses próprios, sem a visão do todo, ou por gostos pessoais. Hoje o Ricardo prefere escutar sim, opiniões, mas toma o cuidado de reservar para si o direito de decidir.

 

Acertar é a parte mais gostosa, uma sensação boa, quando você faz alguma coisa que dá certo. Na Nação Verde, uma coisa que sempre fez sentido, desde o começo, o mais importante, foi compartilhar os princípios e valores da marca com todos. A sustentabilidade, o atender bem, o entregar qualidade.  Estar ali para fazer algo de bom. Servir coisas que faziam bem – e eram gostosas! Para isso o pessoal estava ali. Reforçar no dia a dia esses propósitos, foi um pilar para atrair as pessoas certas e para integrar todos. Afastou pessoas que não tinham o mesmo tom. Fez com que a comunicação com o consumidor fosse mais clara e  fluísse de um jeito melhor. Todo negócio tem seus valores, sua essência boa: o mais importante é trazer isso ao máximo, comungar com todos, organizar e compartilhar o propósito do negócio.

 

 

Obrigado ao amigo Ricardo por contar um pouco da sua história, desejamos que seja interessante para todos!

 


Mais artigos